TODA EM FORMA TREINO – YOGA: força, flexibilidade e definição muscular

Tagged: , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

TODA EM FORMA TREINO - Yoga: força, resistência e flexibilidade
TODA EM FORMA TREINO - Yoga: força, resistência e flexibilidade

Musculação é o inverso do alongamento? Atleta que alonga perde força? Alongar tira a definição muscular? Perguntas como essas brotam do instinto do freak bodybuilder.  Sem saber o real benefício de uma prática de alongamento, o atleta fica restrito àquelas esticadas homeopáticas pós-treino. Mas véi, na boa! Como você me explica o Jean Claude Van Damme? E as meninas da Ginástica Olímpica? Saradas e muito flexíveis!

Inteligentes que somos, mudamos então a pergunta para:  Como Yoga e alongamento podem contribuir para um treino forte?

Vamos imaginar aquele treino intenso usando um peso animal, cujo resultado é uma massa muscular fadigada e com aquele pump!  Ou seja, aquela encurtada que dá ao músculo um aspecto de inchado e grande. As mina pira nessa hora. É o momento daquela foto muito fanfa para as redes sociais! Mas depois do banho, vai tudo embora. Mesmo que todos queiram que essa condição final se torne definitiva.

Pois bem, saiba que você se daria muito mal se isso acontecesse. O músculo alcançou a condição de pump depois de movimentos restritos, repetitivos e sobrecarregados. Quem já fez um treino de perna assim, sabe como fica difícil esticar os joelhos. O corpo tende a viver naturalmente em modo econômico. Quando submetido frequentemente a essa condição, tal limitação de movimento vai sendo assimilada. Ou seja, o músculo “esquece” da sua amplitude natural.  Uma prática de alongamento pós-treino fará com que seu músculo se “lembre” que possui uma amplitude maior. Além disso, ajudará a elimitar o ácido lático acumulado.

A importância de ter uma boa mobilidade ou amplitude de movimento está associada a um mandamento muito respeitado na musculação: executar exercícios na sua maior amplitude, significa manter o músculo funcionando mais tempo sob ação de carga. Isso traz melhores resultados para o treino. FATO!

E mais! Exercícios extenuantes causam no tecido conjuntivo lesões que demoram de 1 a 2 dias para cicatrizar. Há indícios que essa cicatrização encurta o músculo. Para evitar isso, fisiologistas também recomendam práticas de alongamento pós-treino.

Você já deve estar se perguntando “Tá, mas o título dessa bagaça fala de YOGA…”. Já explico! Com o cenário descrito e as condições esclarecidas, vamos propor o que eu considero a melhor prática de alongamento que se pode fazer numa academia.

Sobrevivendo ao efêmero modismo, a prática de YOGA tornou-se parte do cotidiano dos atletas de academia. Subvalorizada como um treino de alongamento, a prática de YOGA agrega um trabalho corporal de força, inteligência motora e exigência cardio-vascular que surpreende a todos.

Muitas são as propostas de prática. Pessoalmente, prefiro uma prática com movimentos fluidos entre posturas, em boa sintonia com a respiração. Acredito que esses dois fatores convencem a mente agitada a participar, aquietando a imensa demanda cognitiva a qual estamos submetidos.

Tal forma de praticar YOGA torna, quase sempre, a prática intensa, vigorosa e nada monótona (que fique claro que esse termo é pejorativo e indigno de se associar ao YOGA, mas taí pra fins de social media). Quem entra na sala de prática é tomado por tal vibe e acaba se submetendo as posturas de flexibilidade de uma maneira muito mais profunda. É visível que os atletas que fazem YOGA ficam flexíveis mais rapidamente do que aula de alongamento comum (Polêmica, eu gosto!).

Os atletas com grande volume muscular desistem de praticar YOGA porque vêem posturas de alta dificuldade, normalmente feitas por gente magra. Muita massa muscular dificulta a realização de diversas posturas sim. Ela se torna barreira para posturas que exigem muitos encaixes ou sobreposições de membros, por exemplo. Mas nem tanto o céu, nem tanto a terra. Cada postura possui variações mais democráticas que seu professor rapidamente poderá dispor.

Como relato pessoal de quem treina há 17 anos e faz YOGA há 10, posso dizer que existe um divisor de águas aí. Desde que comecei a praticar, minha força real aumentou muito. Da mesma forma, a definição muscular. Quem pratica YOGA ouve muito falar sobre alinhamento e postura corporal. Consciente e alongado pela prática, o atleta normalmente acaba andando mais ereto, com o peito aberto, mostrando hamonia de movimentos. Só esses fatores por si já dão ao corpo um aspecto saudável, jovem e destaca bastante a massa muscular, dando até a impressão de ser maior.

Estou aqui me contendo para escrever um texto menos apaixonado sobre a prática de YOGA por entender que esse não é o foco desse blog.  Mas tenho que defender que não devemos reduzir a prática de YOGA a uma prática de alongamento para auxíliar nos treinos.

Quem pratica YOGA ganha incríveis benefícios físicos. Inconstestável! Mas também acaba ganhando muito subsídio para disciplina, atenção e foco que abrem portas para campos de consciência que transcendem o corpo. Afinal, de que adianta um corpo sem uma mente tranquila e um espírito em paz? #ficadica!

Para concluir esse texto, eu poderia trazer uma citação de um guru oriental. Mas, vou optar por um pensamento de um  professor de educação física. Quando a experiência de uma prática física se torna responsável e consciente, seus estudiosos e praticantes desenvolvem uma maturidade profunda. Nela, se alcança uma fonte de conhecimento verdadeira que supera qualquer divergência cultural ou barreira social.

“Quando nascemos o corpo parece frágil e é todo flexível, quando morremos o corpo fica duro e inflexível. O flexível representa a vida, o inflexível representa a morte. Os galhos de árvores flexíveis se curvam ao vento forte e não caem, as secas e inflexíveis são derrubadas. Pessoas evoluídas são flexíveis em casa, no trabalho e em qualquer lugar vencendo os arrogantes. As inflexíveis criam conflito social e ficam isoladas” por Professor Luis Carlos de Moraes.

 

OM Shanti!

Ed

Bookmark and Share

One Comment

  1. Anônimo

    Na verdade eu não transcendo o corpo nem a mente quando pratico yoga, mas, quando consigo unir a mente ao corpo, como se fosse um único elemento, minha pratica fica perfeita, sinto todos os nervos e músculos…. sinto até o sangue circulando rapidamente pelo corpo! Cada postura parece um espreguiçamento gostoso e forte! É realmente incrível descobrir esse estado de consciência corporal, que não está além do corpo, mas no corpo. E claro, como TODA atividade física, os benefícios mentais são incontestáveis.

    Reply

Leave a Comment

Your email address will never be published or shared and required fields are marked with an asterisk (*).